José Simeão Leal

Areia-PB, 1908 – Rio de Janeiro-RJ, 1996.

Administrador cultural, diplomata, crítico de arte (ABCA/AICA), jornalista, médico, colecionador, artista plástico. Graduação em Medicina (Universidade do Rio de Janeiro, 1936). Entre 1947-55 é diretor do Serviço de Documentação do MEC, onde dirige e publica as revistas Cultura, Arquivos, as coleções Cadernos de Cultura, Vidas Brasileiras, Letras e Artes, Teatro e outras publicações culturais. Em 1950 começa a desenhar como hobby. Comissário do Brasil na XXV Bienal Internacional de Veneza. Em 1951 torna-se membro da AICA e é encarregado de organizar a mesma instituição no país (ABCA). Comissário da exposição retrospectiva Elyseu Visconti (II Bienal de São Paulo, 1953). Delegado do Brasil nas conferências da Unesco (Paris/França e India, 1951-1960). Entre 1962-63 é o coordenador das atividades culturais da Secretaria de Educação e Cultura (Governo Carlos Lacerda), onde dirige a Comissão de instalação da Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI). Adido Cultural da Embaixada do Brasil no Chile (1967-68). Diretor e fundador da Escola de Comunicação (UERJ, 1971-75). Diretor-Secretário e Coordenador Cultural do Museu de Arte Moderna (Rio de Janeiro, 1981-82). Realiza exposição com Tunga e Sérgio Camargo (Galeria Saggitario, Veneto/Itália, 1981). Exposição individual na FESP (Rio de Janeiro, 1984). Colaborador do número especial sobre arquitetura brasileira (revista L’Architecture D’Aujour D’Hui, Paris/França, 1984). Em 1997 o IV Fenart (Funesc/Governo da Paraíba) lhe rende homenagem com exposição retrospectiva e seminário.

Fonte: Dicionário das Artes Visuais na Paraíba



Mosaico de fotos
...

Cartas de Simeão a Eloáh